2009/06/25


Perdi meu emprego por causa da greve da greve

Eu sou o bobo-alegre segurando o cartaz nessa foto do UOL.

Passeata anti-greve na USP muda de trajeto por temer violência de grevistas

É impressionante a capacidade dos fotógrafos jornalísticos de te flagrar no único segundo que você sorri em todo um evento. Sorte que eu não botei o dedo no nariz ou bocejei, porque eles iam adorar tb.

Vou contar a história desse slogan que alguns aparecem ter gostado, mas sem entender direito. Em primeiro lugar, é uma variação de uma piada muita antiga, que não tenho certeza se aprendi na MAD, mas foi em algum lugar parecido. A um tempo atrás havia um slogan, que é usado até hoje: "Vá ao teatro." Como campanhas teatrais podem às vezes ser um pouco insistentes chatas e radicais demais, algum engraçadinho inventou um dia de subverter o slogan: "Vá ao teatro, mas não me chame." Eu só reaproveitei adaptando pro contexto atual...

Eu pensei em fazer esse meu cartazinho A4 "SMS" depois de pensar em muitos outros slogans. Um era: "democracia é respeitar as minorias". Cansei de ouvir em conversas sobre quem que é a maioria ou minoria. Pessoas debatem sobre se a maioria quer ou não a greve. Discutem sobre quem foi a maioria em assembléias... Isso não interessa tanto. Democracia não é a famosa "ditadura da maioria", democracia é uma situação onde minorias são respeitadas apesar de serem-nas.

Interessante comparar isso com aquele período da revolução russa em que a maioria "bolshevik" deixou de fora do poder a minoria "menshevik". Varreram-nos para a lixeira da história. Isso não é bonito não. Tem que deixar os chatos da minoria lá com suas manias...

Democracia é tolerar a existência de seus dissidentes, e até mesmo a necessidade de conviver com eles.

Então é isso. Eu não tenho nada contra o teatro. Eu até gosto de ir de vez em quando sim. Mas me deixa em paz, pô!

Não sou contra a greve não. Não gosto da reitoria, e sei que a greve não está ocorrendo à toa. Mas se eu ainda não me convenci que eu devo parar, me deixa trabalhar.

Meu protesto não é contra os trabalhadores em greve na USP hoje, e os alunos e professores apoiando-os. É antes contra a cultura do que assassinaram Trotski.

A propósito, fiz este pequeno cartaz usando o Inkscape, e a fonte é a DejaVu Sans, com as proporções levemente distorcidas.

1 comment:

Narcélio Filho said...

Eu ri demais! `:^D

Acho que o slogan original era de uma camisa do Casseta & Planeta.