2008/02/25


Photoshop rodando no wine, e o que eu realmente queria que acontecesse

Acabei de falar abaixo sobre como se ouve falar muito sempre as mesmas coisas a respeito da popularização do Linux...

Tem alguns pontos onde debates sobre a migração sempre pára, e o mais importante é a falta de versões de alguns programas que as infames empresonas aí “estranhamente” se recusam a lançar versões pra Linux. Um desses (sempre mencionado por amigos meus) é um programa de edição de imagens chamado Photoshop, de uma empresa chamada Adobe Systems, fundada por um cara que saiu do PARC pra desenvolver o PostScript.

Pois bem, diz aí que o wine finalmente está conseguindo rodar o bicho direito. Boa notícia!...

Google intoxicates Linux users with Wine improvements:

“Photoshop is widely regarded as the industry standard for professional raster graphic editing, and the lack of Photoshop support on the Linux platform has been significant impediment to Linux adoption in the graphic artist community. Graphic artists have found cross-platform open-source alternatives like GIMP to be inadequate because they lack key features, such as native CMYK support. Lack of support for commercial-grade voice recognition software on the Linux platform is problematic for users with disabilities who depend on such software to accommodate their special needs. Enabling users to run these programs on Linux through Wine eradicates some of the barriers that are deterring migration to the open-source operating system”

Só vamos esperar que as pessoas que fazem o “sistema operacional” (segundo dizem) chamado Windblows Viztha e o tal Photoshop aí não decidam fazer mudanças radicais na forma como estes sistemas operam, pra facilitar a integração com o wine. (sim, eu acredito que em pouco tempo vamos ouvir falar de alguma nova biblioteca radical em que os novos Wyngoaws e photoshop vão ser baseados, e vai ser ainda mais difícil rodar os Photoshop mais novos.)

O gozado é que o Photoshop tem versão pro sistema da Apple, que é baseado em num sistema desenvolvido pela NeXT, com algumas coisas aproveitadas do FreeBSD. Mas naturalmente o caminho das benesses informáticas livres é de mão única. O dinheiro sempre fala mais alto!

...Fala alto, mas você não escuta ele mais alto. O que você escuta mais alto é sua própria consciência, que tem uma posição privilegiada dentro da sua cabeça!



Eu gostaria de ver um dia alguém noticiar algo como “finalmente agora o GIMP já tem suporte nativo a CMYK, vai atrair zedenas de usuários de Photoshop que estavam aguardando ansiosamente este feature”, mas eu tenho certeza de que quando esse dia chegar eles vão começar a reclamar de mais alguma funcionalidade indispensável do programa proprietário que for a moda do momento, e a notícia não vai ter a menor importância.

Aliás, se vc parar pra pensar, notícias só são intensas no mundo do software proprietário, porque as empresas secreciosas ficam fazendo mistério sobre as coisas, pra de repente revelar as novidades bombásticas. No mundo do software livre tudo é sabido, todas as brigas são públicas...

Eu não quero notícias sobre lançamentos de software. O futuro que eu quero não são notícias sobre pessoas migrando do Ruíndious® pro Linux. Quero só saber que as pessoas tão lá felizes usando o software livre de edição de imagens do momento, e que os desenvolvedores tão trabalhando nisso ou aquilo. Quero a coisa acontecendo aqui na minha frente, nada de notícias. Chega de jornalismo investigativo e acurado. Que venham os blogueiros incertos e inseguros!...

1 comment:

nighto said...

É cara, nesse caso a grana fala mais alto. Eu, que não sou designer, continuo usando feliz o GIMP.

Blog massa, assinei o feed.

[]