2008/07/26


Horas e relações quebradas

Apesar do mundo se dividir mais ou menos todo em fusos-horários mais ou menos regulares, Com regiões saltando exatamente uma hora entre si, alguns governos acham bom determinar um fuso um pouco mais preciso pra eles. Por isso existem alguns lugares onde o horário com relação ao UTC é um número quebrado, e não uma soma de horas inteiras. Alguns lugares definem fusos bastantes quebrados, numa precisão absurda que talvez só interesse mesmo a astrônomos. A maioria destes "outliers" escolhe apenas um número com uma meia hora a mais... Imagine o seguinte, se sua cidade ficasse EXATAMENTE entre dos fuso-horários convencionais, pra que ficar louco tentando escolher um, se você pode falar "então é no meio"?...

É só questão de determinar quanto de erro você tá disposto a aceitar. Alguns acham que meia hora está OK, outros vão dizer que não, 15 minutos é melhor. É o caso desses caras.

Pois bem, hoje reparei uma coisa interessante. Dos poucos países / cidades que adotam fusos horários com horários terminado em :30 (com relação ao UTC), vário são países que possuem brigas políticas e diplomáticas com o Estazunís. Exemplo: Venezuela, Afeganistão, Pérsia (i.e. Irã), e Mianmar! Faltava só entrar Cuba e Coréia do Norte pra completar a lista dos países que não podem, por exemplo, comprar chapéu do Míquei Mause, caixinhas com produtos "fabricados" pela Microscrot, ter participantes no google code jam, e outras coisas não necessariamente boas ou ruins... (não sei se essas restrições chegam ao ponto de impedir a exportação de coca-cola e existência de mcdonald's)

Não é uma coincidência interessante??... (Se é que não é só impressão minha) Será que de tanto ter brigas políticas com outras nações, esses governos adquirem uma postura mais de "auto-determinação", assim, e começam a querer fazer pequenas ações só pra mostrar sua independência, e desejo de se despender de pressões políticas internacionais, seja numa questão tola qualquer como essa do fuso-horário? Vá saber.

1 comment:

Narcélio Filho said...

Interessante! Estes americanófobos me surpreendem mais a cada dia...